Lei da Cadeirinha
Lei da cadeirinha: tudo o que você precisa saber

A lei da cadeirinha existe para garantir a segurança das crianças, que estão entre os grupos mais vulneráveis a acidentes de trânsito. Em 2015, 1.389 crianças entre um e 14 anos morreram vítimas de acidentes de trânsito, em 2016, ao menos 12.288 foram hospitalizadas, e em média 34% das mortes aconteceram quando elas estavam na condição de ocupantes de veículos, segundo o Ministério da Saúde.

Os dados são alarmantes, por isso, hoje vamos falar sobre a lei da cadeirinha, e dar algumas dicas sobre qual modelo melhor para cada faixa etária, como escolher e instalar as cadeirinhas. Acompanhe.

Lei da cadeirinha: o modelo correto para cada faixa etária

O mercado oferece diversas opções de transporte seguro para os pequenos. O mais importante é que sejam certificados pelo INMETRO e que o transporte siga as instruções de peso e altura de cada produto. Confira abaixo as opções que estão contempladas pela lei da cadeirinha.

Bebê conforto – Recém-nascidos até 1 ano (até 13 kg)

lei da cadeirinha - bebê conforto
Fotos: Divulgação

Para recém-nascidos, o dispositivo amparado por lei é o Bebê Conforto. O limite de uso vai até 1 ano de idade ou peso máximo de 13 kg. Elas são mais reclinadas, utilizam cinto de segurança de cinco pontos e devem ser colocadas de costas para o banco da frente do carro. Por manter o pescoço mais protegido, essa posição proporcionará maior segurança para o bebê.

Possuem também o chamado Travel Systems, que encaixa na maioria dos carrinhos. É daí que vem o nome “conforto”: você pode retirar o bebê do carro sem precisar acordá-lo.

Poltronas reversíveis – 1 a 4 anos (de 9 kg a 18 kg)

Poltrona reversível - Lei da cadeirinha
Fotos: Divulgação

A lei da cadeirinha indica o uso de poltronas reversíveis para crianças de 1 a 4 anos que pesam entre 9 a 18 kg. Alguns modelos acoplam o bebê conforto para transporte de recém-nascidos.

Diferente do bebê conforto, a poltrona não oferece a comodidade de ser retirada do carro. Porém, o limite de peso da criança é maior, ou seja, será usada por mais tempo. Assim como o bebê conforto, ela deve ser instalada de costas para o banco da frente do carro até um ano de idade.

Booster ou assento de elevação – Entre 4 e 7 anos e meio de idade (ou até 1,45 m)

Booster ou Assento de Elevação - Lei da cadeirinha
Fotos: Divulgação

O booster ou assento de elevação são os modelos recomendados para crianças entre 4 e 7 anos e meio.

Os modelos com encosto são mais indicados por evitarem o chamado “efeito chicote”. Ele é um dos maiores causadores de lesão na medula espinhal, pois posicionam melhor a parte superior do cinto e são ajustáveis à altura da criança.

Portanto, se optar por um modelo sem encosto no booster, é importante que o banco do seu carro faça a compensação. O encosto de cabeça auxilia na proteção do pescoço da criança em caso de impacto.

A lei da cadeirinha exige que esse tipo de assento seja utilizado em crianças até sete anos e meio de idade ou que tenha até 1,45 m de altura. Só depois disso a criança poderá andar no banco de trás usando o cinto de segurança normalmente.

Sistema de segurança da cadeirinha ISOFIX

Isofix - cadeirinha
O Novo Polo é um dos modelos da Volkswagen que já possui Isofix.

Já ouviu falar no sistema ISOFIX? Com ele é possível prender a cadeirinha em um ponto fixo do carro, e não somente pelos cintos de segurança.

Basicamente, você instala a cadeira em um ponto fixo do chassi do carro. Isso garante menos erros de instalação e uma menor absorção de impacto em caso de acidentes.

Um estudo inglês de 2016 apontou que 52% das cadeirinhas eram instaladas incorretamente, o que acabava reduzindo a eficácia na segurança dos bebês.

A boa notícia é que a maioria dos carros lançados a partir de 2006 já contam com o sistema ISOFIX. Verifique no manual do seu carro se ele já não conta com esse dispositivo!

Dicas na hora de comprar a cadeirinha

– Sempre que for comprar uma cadeirinha, verifique se o modelo foi aprovado pelo INMETRO – só ele atesta que o fabricante cumpre com todas as exigências do governo brasileiro.

– Instale a cadeirinha ainda na loja. Verifique se ela se encaixa perfeitamente no seu carro (sem folgas, por exemplo). Caso algo não esteja adequado, faça a troca na hora.

– Atenção redobrada caso opte por comprar uma cadeirinha seminova. Verifique se não há avarias na estrutura, sinais de desgastes, etc.

Fiscalização da lei da cadeirinha

A cadeirinha sempre deve ser usada, mesmo que você vá só até a padaria da esquina. Estudos apontam que a maior parte dos acidentes de carro acontecem nas proximidades de casa, justamente por nos sentirmos mais à vontade, seguros e confiantes em relação ao trajeto.

Além disso, a legislação brasileira é muito rígida quando se diz respeito às leis de trânsito. Segundo o código nacional de trânsito, transportar crianças em veículo automotor sem a devida segurança configura infração gravíssima.

A lei da cadeirinha passou por mudanças para deixá-la mais rígida. Sua multa ultrapassa os R$290 e a medida administrativa é a retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Portanto, ainda temos que ficar atentos à fiscalização, que costuma não aliviar quando o assunto é a segurança.

Texto: Fabiana Lima/Colaboradora